Coluna Política | Empresários de olho no Palácio do Planalto

Foto | Canindé Soares

Em meio a um “mar” de corrupção e total desgaste da classe política, aumenta o número de pré-candidatos à presidência da República. E nesse embalo, também aumenta os presidenciáveis não tão conhecidos no mundo político. Carregando “placa” de combate a corrupção, empresários começam a surgir como opção para o tão falado perfil gestor, o que muitos brasileiros esperam, ou seja, mais gestão e menos política partidária. O desejo de uma economia forte e geradora de empregos tem sido um aliado desses pré-candidatos.

O empresário Flávio Rocha (PRB), dono da rede de lojas Riachuelo, tem fortalecido a ideia cada vez mais. Circulando o país com palestras sobre empreendedorismo. Durante entrevista à Rádio Jornal, confirmou negociações do PRB com o MDB, justificando que a corrupção não estaria no partido, mas em determinados filiados, evitando julgar o nível de confiança dos eleitores na sigla. Do setor da construção civil, o empresário João Amoêdo (Novo) é mais um nome. Com passagens pelas diretorias do Unibanco e Itaú, ele tem discurso forte contra a corrupção e olhos abertos para geração de emprego.

Fora da lista de tradicionais na política, o fato novo é a chegada do ex-presidente do STF, Joaquim Barbosa (PSB). A família dele não quer a candidatura, mas o ex-ministro tem conversado com lideranças do partido socialista – buscando emplacar a pré-candidatura. Na última pesquisa divulgada pelo Ibope, ele apareceu na casa dos 10%, um bom começo para um novato. Além desses, não esquecemos velhos conhecidos: Rodrigo Maia (MDB), Marina (Rede), Lula (PT), Manuela D’Ávila (PCdoB), Bolsonaro (PSL), Alckmin (PSDB), Ciro (PDT) e Collor (PTC).

Machados I – No município de Machados, as articulações políticas começaram cedo de olho em 2020. Enquanto o prefeito Argemiro Pimentel (PSB) governa e o vice Juarez (PSB) alimenta a promessa de ele ser o indicado à sucessão, o ex-prefeito Cido Plácido (PTB) segue visitando bases e criticando a gestão.  Há quem aposte que Cido será candidato a deputado estadual para dá um “up” no nome.

Machados II – Enquanto Pimentel e Cido travam o debate, uma terceira via segue em silêncio e ativa, articulando e somando nomes. Os líderes são João Morais (PR) e Francisco Marinho (PROS). Inclusive, a dupla poderá formar a chapa majoritária. Uma fonte revelou ao blog que a ideia vem sendo aprovada pela família Morais. E se o irmão de João, o empresário Artur Morais, colocar a mão no projeto a vitória é quase certa.

Boca no Trombone – Prefeita de Cumaru, Mariana Medeiros (PTC) não vem tendo sossego com alguns integrantes da oposição, principalmente os que ficaram sem cargos na prefeitura com a derrota nas últimas eleições. O que o ex-prefeito Eduardinho (PSD) não fez e, por tabela, Mariana também não, tem sido pauta nas redes sociais. Nos comentários, os eleitores trocam farpas: críticas e defesas. O clima tá quente!

Rapidinhas

Altos e Baixos – Enquanto a prefeita de Lagoa do Carro, Judite Botafogo (PSDB), segue entre erros e acertos, o ex-prefeito Jailson do Armazém (PSB) volta à mídia negativamente com as investigações da PF sobre desvio de recursos da merenda escolar.

De ponta a ponta – A pré-candidata ao governo Marília Arraes (PT) alimenta a esperança de contar com Júlio Lóssio (REDE) como vice. A petista sabe a importância dos votos do Sertão.

Fumaça e Fogo – Diante de tantos pré-candidatos a prefeito de Limoeiro, Marcelo Motta (PSB) pode ser mais um?