Coluna da Terça | Os cenários das eleições municipais


Será que teremos eleições este ano? A pergunta tem sido muito comum desde o começo da pandemia do novo coronavírus. O cenário de incertezas divide opiniões sobre realizar ou não em 2020. Nos corredores do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) o assunto é debatido diariamente, mas nada de decisão oficial sobre adiamento ou prorrogação do calendário. Por meio de atendimento remoto, os cartórios eleitorais seguem prestando serviços aos eleitores. Ótimo! Mas para outubro próximo estão previstas as eleições municipais, momento de grande aglomeração de pessoas nas ruas. “E agora, José?”

O Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) avaliou três cenários: a manutenção do calendário atual, o adiamento das eleições sem prorrogar os atuais mandatos e a transferência das disputas para 2022 (eleições unificadas). De acordo com os pesquisadores do IPEA, a transferência das eleições para 2022 seria constitucionalmente mais complicada e exigiria um posicionamento do Supremo Tribunal Federal (STF). A melhor opção destacada na nota técnica do Instituto é o adiamento por um pequeno espaço de tempo, mediante análise do cenário pandêmico no período e exigência dos meios preventivos. E as campanhas nas ruas? As redes sociais serão ainda mais valiosas.

Emenda – O deputado federal Túlio Gadêlha (PDT) quer retirar os professores públicos do congelamento salarial. “Não é justo congelar salários de professores e de tantas outras categorias que já são baixos e suspender concursos públicos indefinidamente”, postou em suas redes sociais. Ele defende que o apoio aos estados e municípios decorra da taxação das grandes fortunas e super salários do funcionalismo público. “Esse que deveria ser o recurso arrecadado e que poderia, então, ser usado para medidas de combate ao coronavírus”, ressaltou o pernambucano.

Telemedicina – O deputado federal André de Paula (PSD) fez questão de ressaltar nas redes sociais seu voto favorável ao Projeto de Lei 696/2020. A proposta libera a utilização da telemedicina, em caráter emergencial, enquanto durar a crise provocada pelo coronavírus. “Essa tecnologia oferece suporte diagnóstico de forma remota, bem como avaliação de exames e emissão de laudos médicos à distância. Votei sim”, escreveu o presidente do PSD Pernambuco. No Estado, o aplicativo Atende em Casa tem contemplado moradores de dezenas de municípios com consultas médicas por ligação.

Deu erro – Diversos servidores da Prefeitura de Tracunhaém reclamaram de descontos no salário do mês de abril. Um grupo foi bater na porta da Secretaria de Assistência Social para saber o motivo. Em nota, a prefeitura disse que ocorreu um erro no sistema e garantiu que estará realizando a reposição do valor descontado. “A Prefeitura de Tracunhaém esclarece que os equívocos constatados no pagamento dos servidores do mês de abril serão reparados de forma que os servidores não sejam prejudicados nesse momento de dificuldade que todos atravessam”, diz a nota.

Rápidas

Limoeiro – O nome do ex-vereador Zé de Nena (PTB) continua sendo um dos mais comentados para compor a chapa majoritária com Orlando Jorge (PODE). Numa última conversa com este colunista, no fim do mês de março, Zé disse que tem dedicado-se aos negócios da família. Ele não confirma e nem descarta. É aguardar!

Orobó – Ao anunciar mais de R$ 7 milhões em obras para o município, o prefeito Cléber Chaparral (PSD) deixou claro que vai para as eleições deste ano com uma prestação de contas embaixo do braço. O vice-prefeito Biu Abreu (PSD) é o escolhido dele para disputar a cadeira de gestor.

O povo quer saber – Sérgio Moro fomentará sua pré-candidatura para 22 após pontuar bem nas pesquisas?