Líder da bancada do PSB, Laura Gomes responde ataques da oposição


Após as declarações dos integrantes da bancada de oposição ao Governo do Estado diante da greve dos caminhoeiros, criticando a postura do governador Paulo Câmara (PSB) em direcionar a culpa ao presidente Michel Temer (MDB) e afirmando não abrir mão para reduzir o ICMS sobre os combustíveis. Por conta da repercussão, a deputada Laura Gomes, líder do PSB na Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe), saiu em defesa do governo estadual. Em nota, a socialista disse que a atitude a oposição é o velho oportunismo eleitoreiro. Laura ainda lembrou que, muitos da oposição são aliados de Temer e se mantiveram em silêncio durante os aumentos exagerados nos preços dos produtos. Confira abaixo a nota na íntegra:

“A Oposição pratica de novo o velho oportunismo eleitoreiro. Como falta coragem para defender o governo deles, que é o de Michel Temer, procura se promover com ataques ao governo do Estado. A Oposição ficou calada durante dois anos de aumentos exagerados do gás de cozinha, do óleo diesel e da gasolina. Seus deputados e deputadas não deram uma palavra enquanto o povo era obrigado a usar lenha porque não podia comprar um botijão de gás. Agora querem culpar o governador por aquilo que é responsabilidade deles e do governo Temer. Quando aumentaram preços não pediram a opinião dos pernambucanos. Quando a crise econômica mais pesou aqui não exigiram do Governo Federal nenhuma ajuda para nosso Estado. Agora aparecem para dizer que Pernambuco pode resolver a situação que eles criaram.

A Oposição devia discutir o verdadeiro motivo da greve dos caminhoneiros que é a política de preços abusivos da Petrobrás, determinada pelo governo Temer. Em vez de envolver o governador, sem qualquer fundamento, deveriam exigir do Governo Federal medidas sérias para baixar e manter controlados os preços do gás, do diesel e da gasolina. Que digam a Temer para agir como o Governo Paulo Câmara. Em Pernambuco, temos isenção de ICMS para o transporte intermunicipal e para o transporte de cargas nas operações dentro do Estado. Além disso, o transporte metropolitano de ônibus também tem alíquota “zero”. A Oposição precisa entender que o Brasil está dizendo basta a Temer e a quem lhe dá apoio. Antes mesmo do troco que vai dar nas urnas, nosso povo já está energicamente exigindo consideração e respeito a todos os brasileiros”.