"Sou amarelo até o fim", diz Marcos Sérgio ao ser recebido pelo grupo de Joãozinho


O vereador Marcos Sérgio (PSD) confirmou oficialmente na manhã desta segunda (16) sua adesão ao grupo político de João Luís (PSB), prefeito de Limoeiro. Ele revelou que vinha conversando desde o início da gestão, mas recuou quando vazou o áudio do gestor direcionado aos vereadores da base, o que rendeu um voto de repúdio. Como justificativa, Marcos disse que chegou para somar com a gestão e relembrou sua amizade pessoal com o prefeito. Ele disse que há dois meses não vem mais enxergando tantos defeitos na administração municipal e que no ano passado viu e apontou muitos, mas que os erros estão menores. “Isso é natural, erra e depois vêm os acertos. Se a coisa esta caminhando certo, não sou eu que vou torcer ou criticar para dar errado”, disse o parlamentar, ao negar que recebeu dinheiro.

Quanto à saída do grupo liderado pelo deputado federal Ricardo Teobaldo (Podemos), o vereador rasgou elogios ao ex-prefeito e disse que manterá a admiração que sempre teve, além de lembrar emendas parlamentares indicadas por Teobaldo na casa dos R$ 40 milhões para a cidade. “Não sei como ficou a cabeça dele (Ricardo Teobaldo), mas estava inquieto por não conseguir realizar as coisas”, comentou. Ele também falou do sonho da realização de obras estruturadoras, citando o calçamento da Cohab Nova. “Eu não estava conseguindo atender uma troca de lâmpada”, afirmou Sérgio. “Ser oposição não é fácil”, completou. O vereador não confirmou se vai apoiar os pré-candidatos do prefeito: Aluísio Lessa e João Campos (ambos do PSB). "Vou analisar a situação e ouvir os que me acompanham", revelou.

Questionado se poderá indicar cargos, ele disse que vem conversando sobre funções existentes em repartições do Bairro da Cohab, a exemplo do Centro de Convivência de Idosos (CCI) e Unidade Básica de Saúde (UBS). “Agora sou amarelo até o fim”, pontuou Marcos Sérgio. Ele ainda garantiu que seguirá com transparência na CPI do LIMOPREV e que vai convidar um representante da ASSEMULPE para acompanhar as reuniões da comissão. O prefeito também negou negociação financeira e disse que a indicação de cargos é algo natural dependendo da demanda que surgir, mas garantiu que não ofereceu determinada quantidade de cargos. Para Joãozinho, a chegada do vereador Marcos Sérgio ajudará no andamento da gestão. “Sempre conversamos e chegou o momento dessa união. Estamos de portas abertas para outros”, finalizou o socialista.