Em Limoeiro, campanhas começam com olhares para 2016

Assim como em todos os municípios brasileiros, os assuntos do momento são a Política e a humilhante derrota da seleção brasileira. O segundo já está caindo no anonimato, mas o primeiro está apenas começando. Inclusive, com olhos para o futuro, ou seja, para as eleições municipais de 2016. Em Limoeiro, o futuro está mais debatido do que o presente. Como? Os “especialistas” que estão espalhados pelas esquinas da cidade, bares e calçadas analisam que, o futuro prefeito de Limoeiro vai depender do resultado das eleições de outubro próximo. 

Mas muita água vai rolar! Claro, sempre vai. Contudo, é inegável que o resultado desta eleição terá a sua influência direta na composição das chapas municipais. Se Armando Monteiro (PTB) conquistar a cadeira de governador, a reeleição de Thiago Cavalcanti (PROS), atual prefeito de Limoeiro, poderá caminhar em águas tranquilas. Mas se o governador for Paulo Câmara (PSB), o atual grupo da oposição ganha fôlego para brigar pelo Poder Executivo, com o nome de Joãozinho (PSB) encabeçando o grupo e reforçado pelos vereadores oposicionistas, que agora são 8. Isso, partindo do princípio de que o PSB Estadual não pise na bola com o socialista como fez em 2012.