João Alfredo: incentivo à economia solidária vira experiência exitosa

Imagem | Secretaria de Saúde da PMJA
Quem disse que vida saudável não combina com criatividade? No Sítio Jenipapo, na zona rural do município de João Alfredo, a criatividade da enfermeira da Unidade Básica de Saúde (UBS) vem mudando para melhor a vida das famílias. O objetivo inicial da ação foi incentivar a economia solidária no munícipio, com a produção de refeições e lanches oriundos de produtos da agricultura familiar, além da comercialização deles. O projeto deu tão certo que virou experiência exitosa e foi apresentado no encontro de secretários municipais de saúde promovido pela II Gerência Regional de Saúde (GERES). A enfermeira Anajara Marques passou a orientar as mulheres da comunidade a valorizar o que possui “dentro de casa” e com isso ter a garantia da alimentação da família e gerar renda. “A proposta é desmistificar a resistência em consumir determinados alimentos que eram produzidos por eles, os conhecidos comunitários. A partir daí trouxemos para dentro da unidade mães e filhas, e ensinamos como preparar doces, bolos e farofas a partir do jerimum, por exemplo”, explica a enfermeira.

A profissional também proporcionou momentos de puericultura, programa que objetiva acompanhar o crescimento e o desenvolvimento de um indivíduo, sua cobertura vacinal, estimular a prática do aleitamento materno, orientar a implantação da alimentação complementar e prevenir as desordens que mais afetam as crianças durante os primeiros dezoito meses de vida. Na UBS Jenipapo, Anajara iniciou atividades intituladas, por exemplo, de Minha Primeira Frutinha e Minha Primeira Cenourinha”. As mães descobriam, nestes momentos, que seus filhos gostavam muito de frutas. Interessante, que as famílias conheciam o iogurte, mas não conheciam a coalhada. Criavam o bezerro para vender,  mas não criavam a vaca para produzir o leite, o queijo, enfim, eles tinham ‘vergonha’ de consumir os alimentos que produziam”, recorda a enfermeira.

Mais SaúdeNa comunidade, ovos e galinha de capoeira era apenas para vender. Mas a partir dessa experiência os costumes começaram a mudar e, claro, as famílias adquiriram hábitos mais saudáveis. “Comecei a introduzir com o grupo de hipertensos, o que chamei ‘porção saúde’, colocando no cardápio o arroz com refogadinho de soja, já que eles não conheciam a soja e seu valor nutritivo”, conta Ana. Outra curiosidade que se tornou produto de comercialização foi o Jenipapo, árvore que dá o nome à localidade. Hoje, ela é fonte para o fabrico de licores e lambedores. A horta comunitária é rica em ervas medicinais, verduras e legumes. A comunidade já produz e revende doces e outros produtos. Os agricultores plantam o feijão branco, mais rico em ferro do que o feijão preto. Já o caldinho de jerimum é muito gostoso e nutritivo, não ficando de fora das refeições”, completa a idealizadora, que ressalta a estrutura que tem recebido da gestão municipal para mostrar as experiências e ações para o mundo.