"O povo da serra não só come uma vez ao ano", dispara presidente da associação


Nesta quarta-feira (12), o presidente da Associação dos Moradores do Alto do Redentor de Limoeiro, Célio Gomes, criticou a falta de apoio dos órgãos públicos. Durante entrevista à Rádio Jornal Limoeiro, ele fez um balanço das ações desenvolvidas nos últimos anos e cobrou uma maior participação dos representantes políticos. Em sua pauta, Célio cobrou o retorno da caixa coletora de lixo e melhorias na iluminação. “Temos onze postes, dois caíram e outros podem cair a qualquer momento”, avisou o presidente. Gomes ainda lembrou a necessidade das obras de saneamento. "Estamos de portas abertas para todos. Não estamos embaixo de braço de político nenhum", afirmou.

No campo social, ele citou o “sopão” distribuído todas as sextas-feiras com a ajuda de populares e voluntários. “Nos próximos dias vamos oferecer toda quarta-feira um mungunzá, pois esse povo precisa”, adiantou. Indagado sobre a distribuição do peixe da Semana Santa, o presidente disse que não foi contactado pela prefeitura. “Os moradores me procuraram para pegar a ficha, mas eu não sei de nada”, revelou Célio. “A nossa gente precisa de muito mais. Será que o povo do Redentor só comem uma vez por ano. Subam lá e levem alimentos em outras datas”, completou.

Via Sacra – Na Sexta-Feira da Paixão (14), a escadaria do Redentor é um dos pontos mais movimentados da cidade desde as primeiras horas do dia. Por conta da Via Sacra, muitos fieis retornam da procissão pelos degraus. E mantendo a tradição, a associação vai distribuir, gratuitamente, em sua sede, dezenas de litros de mungunzá. “Quem for para Via Sacra será muito bem recebido na comunidade. Todos estão convidados”, pontuou Célio.