Festa de São Sebastião: fé, devoção e multiculturalidade na Princesa


O município de Limoeiro tem como padroeira Nossa Senhora da Apresentação. As comemorações acontecem no mês de novembro. Mas dentro do contexto religioso, em janeiro tem a mais tradicional. A Festa de São Sebastião celebra 126 anos de fé e devoção, um evento acompanhado por muitas gerações. Centenas de promessas alcançadas que se misturam aos fatos sociais que alimentam as páginas da Princesa do Capibaribe. Estando na cidade no primeiro mês do ano não tem outro assunto mais falado do que São Sebastião. 

Devotos e fieis renovam compromisso de fé em homenagem ao santo protetor da peste, fome e guerra, sempre respeitando o Estado Laico. A cidade está em festa, as ruas cheias, o parque animando as crianças, o Jornal da Festa informando, os artistas cantando, as famílias retornando para matar saudade e o povo hospitaleiro de braços abertos para receber os visitantes. Assim é o mês de janeiro em nossa “terra amada, pedaço do meu Brasil”, como diz o hino municipal escrito pelo poeta José Barbosa. Quem não tem uma história para contar dessa festa? Bom, só quem ainda não nasceu. Padres e mais padres se revezam nas celebrações, atualmente, em duas paróquias: Nossa Senhora da Apresentação e São Sebastião.

A primeira Matriz tem novenário, a segunda, trezenário, tem novidade com a subida do santo no feriado, tem motoata, cavalgada e muita religiosidade. Do Centro ao Alto de São Sebastião as calçadas ficam tomadas pelas famílias, o clima de interior reacende o espírito de unidade entre os conterrâneos. Grandes nomes que por aqui passaram também são lembrados, a exemplo do padre Luís Cecchin. No palco profano, bandas e cantores animam, ambulantes vendem e aquecem o comércio, tem cultura de raiz e, sem esquecer, claro, tem arrematação. Aqui, um resumo, pois chegou a hora de colocar a domingueira e curtir a Festa de São Sebastião!

Oferecimento: