Thiago Cavalcanti assegura transição tranquila, salários e pagamentos de fornecedores


Depois da derrota nas urnas, o prefeito de Limoeiro, Thiago Cavalcanti (PTB), tem quase 3 meses de gestão pela frente. Nesta terça-feira (4), ele conversou com a reportagem da Rádio Jornal Limoeiro e garantiu que manterá o compromisso com o município até o dia 31 de dezembro. Afirmando uma transição tranquila com a equipe do tio e prefeito eleito Joãozinho (PSB), Cavalcanti também garantiu que os servidores municipais receberão os salários em dia. “Vamos pagar em dia como aconteceu em todo nosso mandato”, pontuou. Em relação aos fornecedores e restos a pagar, Cavalcanti disse que vai continuar ajustando e cortando despesas extras para deixar todas as contas em dia até o final do mandato.

Quando o assunto foi a pesquisa política divulgada na reta final da campanha e que mostrava larga vantagem favorável ao trabalhista, ele preferiu analisar com mais calma no pós-eleição. O prefeito disse que todas as pesquisas que fez apareceu à frente, porém, com uma margem menor do que a apresentada pelo blog do jornalista Magno Martins. Ao mesmo tempo, Thiago ressaltou o tom de mudança e alternância do poder registrado na região, citando exemplos de cidades que a oposição venceu: Feira Nova, Carpina, Bom Jardim, Lagoa do Carro, Passira, Salgadinho, Surubim e Cumaru.

Abordado sobre a possibilidade de o grupo dele conquistar a presidência da Câmara Municipal de Vereadores, o gestor disse que ainda vai sentar com os 9 vereadores eleitos pela situação para definir. A oposição elegeu 6 parlamentares. Perguntado sobre o futuro político, Thiago foi categórico e não adiantou detalhes. Disse apenas que vai se dedicar ao restante do mandato, à família e a partir de janeiro focará os negócios dele e da família, adiantando que não voltará mais a trabalhar no Banco do Brasil. Ao final, desejou sorte ao tio e prefeito eleito. (Imagem | Divulgação)