Demitidos da prefeitura de Bom Jardim protocolam denúncias no MPPE


O Ministério Público de Pernambuco (MPPE) e o Tribunal de Contas do Estado (TCE) vêm acompanhando a reta final de algumas gestões municipais onde os prefeitos não conseguiram a reeleição ou não fizeram o sucessor. A maioria das denúncias está concentrada em atrasos de salários e de fornecedores, demissões sem justa causa, além de encerramentos de contratos de trabalho antes do prazo acordado. Nessa lista de prefeitos também está o do município de Bom Jardim, Miguel Barbosa (PP). O progressista foi derrotado nas eleições deste ano. Miguel não esperou muito para realizar diversas demissões sem justa causa. 

Nesta quinta-feira (20), um grupo de demitidos bateu a porta da promotoria da cidade, que fica no prédio do Fórum. Um deles disse a nossa reportagem que o MPPE está analisando as denúncias para ingressar no Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE). “O representante da promotoria disse que vamos ter nossos direitos assegurados”, revelou um ex-funcionário da prefeitura. Com a demissão repentina pós-eleição, muitos trabalhadores ficarão sem os salários de outubro, novembro, dezembro e o décimo terceiro. Tentamos contato com o secretário municipal de Administração, mas funcionários do departamento informaram que o responsável pela pasta só estará na prefeitura na próxima terça-feira, dia 25. (Imagem | Reprodução Blog Lúcio Mário)