Entidades de classe cobram mais segurança pública para Limoeiro


Nesta terça (26) representantes de entidades da sociedade limoeirense estiveram reunidos na Câmara Municipal de Limoeiro (CML) para cobrar mais segurança pública. Estiveram presentes José Matias, presidente da Sociedade dos Criadores de Limoeiro, Jeová Santiago, representante da Loja Maçônica, Dra. Angélica Vila, presidente da Subseccional da OAB, Patrícia Holanda, presidente da ACIL, Nilson Modas, representante do comércio e José Félix, presidente do Legislativo. A comissão apresentou documentos relatando a precária situação de segurança pública na cidade, com destaque para a onda de assaltos na área urbana e comunidades rurais.

Como sugestão, o vereador José Felix informou que a CML dispõe de um saldo médio de R$ 400 mil e esse valor será devolvido à prefeitura. O parlamentar disse que vai sugerir ao prefeito Thiago Cavalcanti que o montante seja investido na instalação de câmeras de segurança nas ruas da cidade e que sejam interligadas em tempo real com a secretaria municipal de Segurança, Trânsito e Justiça Cidadã e com a VI Companhia Independente da Polícia Militar (CIPM). O vereador disse que vai fazer uma consulta ao Tribunal de Contas do Estado (TCE) sobre a legalidade da sugestão. A secretaria municipal de Infraestrutura também será notificada para realizar melhorias na iluminação pública da cidade.

Os representantes também pediram o agendamento de uma audiência pública com os gestores das áreas de segurança do Estado. Os documentos entregues ao presidente da CML serão enviados as esferas estadual e federal. Para os participantes, o encontro foi positivo, já que uma medida preventiva foi colocada na pauta de ações. “Precisamos mostrar que não estamos parados. A sociedade precisa cobrar e se movimentar em prol da segurança como um todo. Por isso elaboramos esse documento tendo o apoio da OAB que também traz sua reivindicação para que os nossos representantes melhorem a segurança”, disse o advogado José Matias.