Prefeito de Limoeiro alega crise e confirma cancelamento do Micaeiro


Uma das poucas cidades que ainda mantém carnaval fora de época no Nordeste, Limoeiro não resistiu à crise econômica e anunciou o cancelamento do Micaeiro 2015, festa popular que existe há quase vinte anos. A notícia foi confirmada através de nota emitida pela prefeitura de Limoeiro no início da noite desta terça (03). No documento, o prefeito Thiago Cavalcanti alegou que a administração municipal não tem recursos suficientes para pagar as despesas com a estrutura do evento. “Sempre ouvimos queixas por não realizar a festa, nós também gostamos de festa. Porém administrar recursos públicos é isso, é definir prioridades todos os dias. É a mesma coisa que em nossa casa, a receita tem de ser maior que nossas despesas. Então nós devemos fazer compromissos com a receita que temos. Todos os municípios estão tendo dificuldades, mas nós administramos escolhendo prioridades e decidindo o que é melhor para a coletividade do nosso povo”, explicou Thiago.

Em entrevista concedida à reportagem da Rádio Jornal Limoeiro, ele revelou que os gastos foram calculados em aproximadamente R$ 110 mil. Algumas bandas baianas estavam pré-agendas e não representariam despesas aos cofres públicos, em virtude de emendas, mas sem dinheiro para a contrapartida, o gestor optou pelo cancelamento da festa. Indagamos o gestor sobre as edições anteriores, quando o deputado federal Ricardo Teobaldo realizava sem a prefeitura. Thiago disse que o ex-prefeito tentou vias para realização particular, mas os patrocínios continuaram escassos. O prefeito também informou que buscou parcerias privadas, mas as empresas consultadas também alegaram dificuldades financeiras na hora de conceder patrocínios. A notícia divide opiniões na cidade. Muitos moradores acreditam que a decisão foi acertada e que a prefeitura deve ter outras prioridades. Por outro lado, principalmente jovens e barraqueiros, lamentaram e decisão da prefeitura em cancelar o Micaeiro.