Hospital Regional de Limoeiro enfrenta número reduzido de ambulâncias


Pacientes do Hospital Regional José Fernandes Salsa, em Limoeiro, estão enfrentando fila de transferência em decorrência da falta de ambulância. Recentemente, um veículo foi retirado de atividade e ninguém sabe qual o destino dado. Com a diminuição das unidades, recentemente, quatro motoristas contratados pela empresa prestadora de serviço foram demitidos. 

Segundo funcionários do hospital, que pediram reserva na identidade, na madrugada desta quarta (29) dois pacientes aguardavam transferência para o Hospital Pelópidas Silveira, no Recife, mas pela falta de ambulância continuaram amargando a espera por um tempo maior do que o devido. Outra informação coletada pela nossa reportagem indica que ambulâncias do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) estão sendo utilizadas para transferência, fugindo da sua real função, que é o atendimento pré-hospitalar e encaminhamento para unidade regional.

O secretário de Saúde de Limoeiro e membro do Colegiado dos Secretários Municipais de Saúde de Pernambuco, Orlando Jorge, revelou durante entrevista concedida à Rádio Jornal, que a problemática vem sendo apresentada à Secretaria Estadual de Saúde na pauta das reuniões do colegiado, mas sem uma resposta positiva. “Essas questões sempre são pautadas na reunião do colegiado. E lá falei que a ambulância UTI do Hospital Regional de Limoeiro sumiu. Inclusive, tenho a informação de já existem demandas no Cremepe entre médicos em decorrência de transferências utilizando a ambulância do SAMU”, disse Orlando. 

Em nota, a Secretaria Estadual de Saúde informou que, levantamento realizado pela unidade, no primeiro semestre deste ano, apontou que cerca de 80% dos casos atendidos no Hospital Regional foram de moradores do município de Limoeiro. A maior parte desses pacientes enquadra-se no atendimento de baixa complexidade, ou seja, deveriam ter sido atendidos nos PSFs e não no Regional. Sobre a questão das ambulâncias, a SES esclarece que o Hospital Regional de Limoeiro conta com uma unidade móvel para realizar a transferência dos pacientes e que só precisou recorrer ao SAMU em casos pontuais, onde havia risco para o paciente. (Imagem | Divulgação)