Números mostram elevado aumento nos casos de Dengue em Limoeiro


O cenário preocupante com o aumento dos casos de Dengue em Pernambuco não é diferente em Limoeiro. Os atendimentos no Hospital Regional José Fernandes Salsa, que normalmente se aproximam dos 200 diários, nos últimos meses tem ficado entre 300 e 350. Segundo os servidores da unidade, o aumento se deve a grande quantidade de pacientes que buscam atendimento com os sintomas da doença, em sua maioria, febre e manchas vermelhas.

De acordo com dados da secretaria estadual de Saúde, o município de Limoeiro figura entre os primeiros na lista de mais incidentes em casos de Dengue no Estado. Em uma avaliação feita até o final do mês de abril, a cidade apresentava o número de 1,066 casos para um universo de cem mil habitantes. Por conta deste número, a II Gerência Regional de Saúde reconheceu surto no município. 

Dados do departamento de Epidemiologia de Limoeiro mostram que houve aumento em mais de 1.000% nos casos notificados entre 2014 e 2015. No ano anterior, o departamento registrou 58 casos durante todo ano. Já em 2015, até a primeira semana de maio, foram 1.252 casos notificados. Quando os dados se referem aos confirmados, 2014 registrou no ano inteiro 27 vítimas. Já em 2015, antes mesmo do fechamento do primeiro semestre, Limoeiro confirmou mais de 30 pessoas com a Dengue, restando, ainda, a divulgação dos dados em análise no Laboratório de Pernambuco.

O aumento fez com que a secretaria municipal de Saúde mobilizasse todos os segmentos da sociedade. “Capacitamos os agentes de saúde, médicos, enfermeiros e dentistas, para que sejam multiplicadores das informações de combate”, revelou Francisco Barbosa, integrante do Comitê de Combate à Dengue. Ele também contou que profissionais com experiência no trabalho de combate as larvas, a exemplo de aposentados foram contratos de forma urgente. “Não temos tempo para capacitar novos agentes, então optamos por convidados aposentados com larga experiência para contribuir, momentaneamente”, pontuou. Rotineiramente, os agentes comunitários de Endemias realizam mutirões de limpeza nos bairros e comunidades rurais. (Imagem | Divulgação)