Salgadinho racha em cinco grupos nas eleições proporcionais


O pequeno município de Salgadinho rachou de vez politicamente para as eleições deste ano. Por lá, os acordos políticos falaram alto, o que resultou na formação de cinco grupos. Serão cinco palanques diferentes no tocante aos candidatos ao cargo de deputado estadual. O prefeito Adenilson (PR), os vereadores republicanos Luís de Moça, Luzia e Cabral, Luiz de Lira e Antônio Cabral do PSD, além de Jóia (PSL) vão votar com o candidato a estadual Zé Maurício (PP). 

Já o vice-prefeito Gilson Belarmino (PSD) não rezará na mesma cartilha do gestor e pedirá votos para Nilton Mota (PSB). O ex-prefeito Evandro Pires (PTB) e o seu filho, o vereador Gervandro Pires (PTC) apoiam a candidatura de Zé Humberto (PTB). Na outra vertente, os vereadores João Paulo (PMDB), que dias atrás sinalizava para Zé Humberto, e Betinho (PSC) optaram por apoiar a candidatura de Simone Santana (PSDB), esposa do tucano Carlos Santana, prefeito de Ipojuca. E por fim, o ex-prefeito Luciano Lima (PSDB) vai correr atrás de votos para a tentativa de reeleição de Henrique Queiroz (PR).

Já quando o assunto é majoritária, apenas a família Pires segue a candidatura de Armando Monteiro (PTB). Os demais fecharam com o socialista Paulo Câmara, candidato apontado pelo ex-governador Eduardo Campos (PSB), e devem estar juntos e misturados quando da visita de Câmara à cidade das "Águas Termais". Nas últimas eleições municipais, o colégio eleitoral de Salgadinho chegou a marca de 5.300 eleitores.