Programa habitacional contempla 320 famílias de Limoeiro

O sonho da casa própria se tornou realidade para 320 famílias de Limoeiro. Na manhã desta quarta (02), a Caixa Econômica Federal (CEF) e a prefeitura de Limoeiro efetuaram a entrega das chaves dos apartamentos do Programa Minha Casa, Minha Vida, construídos no Loteamento Lagoa Azul. Os empreendimentos são compostos, cada um, por 160 apartamentos distribuídos em 5 blocos de 4 andares, com 8 unidades por andar, todos com área privativa de 43m², divididos em 2 quartos, sala, banheiro, cozinha e área de serviço, com piso cerâmico na cozinha e no banheiro.Segundo a assessoria da CEF, as unidades estão avaliadas em R$ 41 mil, sendo que seis delas foram adaptadas para portadores de necessidades especiais.

Durante a entrega das chaves, o prefeito de Limoeiro, Thiago Cavalcanti, informou que realizará novas ações de infraestrutura para facilitar o acesso ao loteamento, que já conta com dezenas de residências e imóveis comerciais. Os depoimentos dos contemplados revelaram a satisfação e a emoção em conquistar a casa própria. Em nota, a Caixa comunicou que, o programa foi destinado a famílias com renda de até R$ 1,6 mil (Faixa I). Em Limoeiro, famílias residentes em áreas de risco e em casas de taipa foram prioridades. Mas por outro lado, a polêmica não deixou de existir. Várias pessoas que não foram contempladas reclamaram nos veículos de comunicação. A maioria das reclamações indicou que pessoas detentoras de imóveis foram beneficiadas. Em dos relatos, uma moradora disse que a sua vizinha tem 11 casas alugadas e acabou recebendo um apartamento.

O gerente geral da agência Limoeiro, Francisco de Assis, disse que ainda será liberado um cartão de crédito nos próximos dias para que as famílias possam mobiliar suas novas moradias. “O valor dará para deixar o apartamento funcional”, comentou o economiário. Segundo o gerente, existe a possibilidade de a cidade receber novamente o programa, mas sem adiantar data. Para manter a organização dos prédios, dois síndicos foram eleitos. Os novos mutuários pagarão, mensalmente, em média, R$ 38, num prazo de quatro anos.