Matadouro de Caruaru é interditado por irregularidades

Ruído excessivo, serras elétricas sem a devida proteção, plataformas de trabalho enferrujadas, instalações elétricas precárias. Essas foram algumas das irregularidades que motivaram a interdição do Matadouro Municipal de Caruaru, no último domingo (29), após ter sido inspecionado conjuntamente pelo Ministério Público do Trabalho (MPT) e Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), nos dias 5 e 26 de junho. Para discutir a reabertura do local, em condições de saúde e segurança para os trabalhadores, o MPT realiza, nesta quarta (2), às 11h, audiência com o município.

De acordo com a procuradora do Trabalho à frente do caso, Roberta Komuro, o objetivo da audiência é tentar firmar um Termo de Ajuste de Conduta (TAC), solucionando os problemas verificados. “Durante as inspeções, pudemos constatar diversas irregularidades relativas ao meio ambiente do trabalho, bem como, o descumprimento de diversas normas regulamentares”, disse.

A fiscalização verificou que os trabalhadores não usavam os equipamentos de proteção individual mais simples, tais como protetor auricular, máscaras, luvas, óculos de proteção e cinto de segurança. “O ambiente no local de trabalho apresentava ruído excessivo, serras elétricas sem a devida proteção, plataformas de trabalho enferrujadas, instalações elétricas precárias e o setor de caldeiras com irregularidades”, disse Roberta. O matadouro, até que sejam feitos os ajustes necessários, apontados no termo de interdição, deve se abster de receber mais animais para o abate.