Zé Nilton explica voto contrário a doação de terreno para instalação de fábrica em Limoeiro

Na tarde desta quarta-feira (03) foi realizada a segunda reunião da Câmara de Vereadores de Limoeiro após o recesso do mês de junho. Como de costume, os requerimentos foram aprovados de forma unânime e sem embates entre os parlamentares de situação e oposição.

O clima só esquentou um pouco mais quando foi colocado em votação um projeto enviado pelo Executivo objetivando a doação de uma área de 03 hectares as margens da PE-90, nas proximidades da Pracinha do Estado, para construção de uma fábrica de produtos químicos (sabão em pó e detergente). Segundo o projeto, a empresa prevê, inicialmente, a geração de 70 empregos diretos.

Contra a doação votou o vereador Zé Nilton (PTB), que até o início do ano integrou a base de apoio ao prefeito Ricardo Teobaldo (PSDB) na Casa Professor Agripino de Almeida. Em entrevista a reportagem da Folha de Limoeiro, o petebista disse que não foi contrário a doação do terreno, mas sim do local.

Segundo Zé Nilton, o ideal seria a doação de uma área as margens da PE-50, tendo em vista a proximidade da instalação do gasoduto. “Sempre defendi a preservação da Pracinha do Estado e acho que a área não deveria ser doada para instalação de fábricas e sim transformada em área de lazer”, comentou o vereador. “Mas se chegar um projeto que seja para benefício dos limoeirenses e avaliar que é correto voto favorável sem problema”, ponderou.

Na entrevista, Nilton ainda se colocou como um vereador “neutro”. “Não sou vereador de situação nem de oposição. Sou o vereador da razão”, disse. O voto contrário de Zé Nilton não foi suficiente e o projeto foi aprovado. Para o presidente da CML, vereador Zé Felix (PR), os debates fazem parte do estado democrático. “Nossa câmara funciona de forma democrática, onde todos têm o direito de falar, criticar, mas com respeito”, pontuou o presidente do Legislativo.