Nova gestão do Estadual de Limoeiro faz avaliação positiva do primeiro ano


Durante 11 meses gerenciando a Escola Estadual Padre Nicolau Pimentel, em Limoeiro, unidade da Rede Estadual de Ensino e integrante da Gerência Regional de Educação Vale do Capibaribe, a professora Aurenize Maria Bezerra (Aurita) faz uma avaliação positiva do atual momento vivido pela escola, apesar dos desafios do início da gestão, quando a educadora deixou a direção da Escola Estadual Morais e Silva (extinta) para assumir o tradicional Estadual.“Desde que chegamos superamos um desafio a cada dia, pois a escolaé bem maior do que a que administrei. Foi difícil no início, tivemos algumas intervenções, mas hoje pudemos mostrar o nosso trabalho e mostrar para que viemos”, comemora a gestora.

Entre as conquistas que começaram a brotar neste primeiro ano de gestão, Aurita faz questão de destacar a recente visita do Banco Mundial. “Os representantes da entidade ficaram satisfeitos com a gestão e com o trabalho desenvolvido na escola. Inclusive, o trabalho foi exaltado no site da secretaria de estadual de Educação”, conta orgulhosa. No seu ponto de vista, a integração da comunidade escolar tem feito à diferença. “Estamos trabalhando de forma coletiva com a gestão participativa, onde alunos, professores e pais têm vez e voz. Talvez, por isso, conseguimos continuar na gestão da escola”, analisa.

Além das atividades que compõem a grade curricular da unidade de ensino, projeto extrasala de aula são desenvolvidos com todas as idades. “Temos projeto de música na escola, uso da tecnologia na escola com o uso do celular como ferramenta pedagógica, o que vem dando certo, temos ainda capoeira duas vezes por semana, projeto de dança e teatro e muitas outras atividades culturais e esportivas”, relata a educadora. Ações de resgate também fazem parte da agenda de Aurenize. “Realizamos a décima sexta edição da feira de ciências que estava esquecida e desfilamos nas comemorações cívicas com uma banda própria, a qual recebeu o nome do professor Alexandre Nunes”, ressalta.

“Complicado e interessante”. Essas duas palavras resumem o sentimento da gestora no momento de transição. “Muitos falavam que seria dois em um, ou seja, Estadual e Morais, quando na verdade não existe isso, somos Estadual”, afirma. “Apenas trouxemos o normal médio e os alunos”, completa. Entre as novidades para o próximo ano, a professora adianta que o curso Normal Médio não terá mais quatro de anos de duração. “Os interessados não precisam mais cursar os quatro anos. Eles vão entrar no terceiro ano e estudam as matérias pedagógicas do primeiro e do terceiro. No quarto ano serão trabalhadas as disciplinas do segundo e do quarto”, explica. Para Aurita, os resultados alcançados no Normal Médio tornaram-se modelo. “A grande maioria dos nossos alunos estão no mercado de trabalho. Da turma do ano passado, por exemplo, dezoito alunas foram aprovadas no concurso público da prefeitura de Limoeiro, onde treze já estão lecionando”, enfatiza.

Estrutura – As atuais condições físicas do prédio da Escola Estadual Padre Nicolau Pimentel, segundo Aurenize, tem possibilitado um melhor desenvolvimento das atividades. “A estrutura do prédio ajuda muito. Na Escola Morais e Silva não tínhamos nem estrutura física para construir. Aqui registramos os laboratórios de física, matemática, ciências e informática. Lembrando que, este ano, recebemos mais máquinas, melhorando o trabalho dos professores e gestores”, conta. Para 2013, as matrículas estão sendo feitas automaticamente, contudo, os pais devem comparecer na escola para confirmação. “Estamos aguardando novos alunos, pois o desejo de qualquer escola é aumentar o número de alunos. Até janeiro estamos trabalhando para ajustar todos os detalhes para o próximo ano letivo”, finaliza.

Matéria Publicada no Viver Notícias | Edição 104 (Novembro 2012)
Imagem Divulgação